Conviver com animais de estimação estimula a responsabilidade em crianças


Ter um animal de estimação muitas vezes é sinônimo de casa animada. Porém, no período de gestação, muitas grávidas pensam em doar seus bichinhos. Mas a ginecologista e obstetra da Perinatal Mariana Conforto conta que a relação com o pet pode fazer bem:

— Tudo o que envolve cuidado com o outro pode ajudar. Um dos benefícios que a grávida tem é que quando ela sai para levar o animal para passear, acaba praticando uma atividade física, o que é ótimo para a gestação.

 

O cuidado com a higiene do bichinho e da casa devem ser redobrados nesse período, pois os animais podem transmitir doenças que prejudicam a formação do bebê.

— As fezes dos gatos podem transmitir toxoplasmose. O ideal é que a grávida não entre em contato com elas, ou as retire usando uma luva. Fazendo um bom pré-natal e cuidando da saúde do pet, dá tudo certo — diz Mariana.

Para manter a harmonia da casa com a chegada do bebê é preciso também preparar o animal para a nova rotina.

— Procure começar as mudanças meses antes para que ele não associe a criança a coisas negativas, sempre tomando o cuidado de inserir o bicho nas novas rotinas da casa — sugere Ingrid Stein, veterinária do aplicativo DogHero.

A relação com o pet também é bom para a criança.

— O convívio com os animais estimula o exercício físico, a responsabilidade, a criatividade, bem como a socialização com outras pessoas — afirma Patrícia Mannarino, pediatra do Prontobaby.

Quando crianças e animais estiverem juntos devem ser supervisionados por um adulto, como recomenda Adriana Auzier Loureiro, da Sociedade Brasileira de Pediatria:

— O animal não deve lamber a criança ou deitar no berço.

Dicas para adaptar o pet

Antecedência: Quanto antes a adaptação começar, melhor para o animal, pois assim ele não relaciona as mudanças à chegada do bebê.

Horários: Ajuste os horários da comida e passeios dele para os mesmos de quando o bebê nascer.

Cheiro: Deixe que o cão fareje e conheça o quarto do bebê, mas com a sua supervisão. Permita que ele se aproxime da barriga e cheire. Quando a criança nascer, peça para alguém levar panos que tenham o cheiro do bebê para que ele reconheça.

Mantenha perto: Quando estiver cuidando, brincando e alimentando o bebê, deixe que ele se aproxime e participe. Faça carinho nele também, como faz no bebê.

Rotina integrada: Quando a criança for maior, dê a ela tarefas como dar comida, passear e ajudar na higiene do animal.

Link original | Jornal Extra | 21/10/2017

Últimas notícias

Fala Baby 5ª Edição – Agosto 2018

10 de agosto de 2018


Hospital da Criança realiza palestras gratuitas sobre amamentação

30 de julho de 2018


Esporte contra sedentarismo

28 de julho de 2018


Rotina intensa pode causar Síndrome do Pensamento Acelerado nas crianças

27 de julho de 2018


Dicas de segurança para viajar com crianças e bebês

10 de julho de 2018