Dr. José Dias Rego, membro da Academia Brasileira de Pediatria, é escolhido como Médico do Ano 2017, no Rio de Janeiro


O pediatra dr. José Dias Rêgo, titular 1 da cadeira nº 23 na Academia Brasileira de Pediatria (ABP) da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), foi escolhido como o Médico do Ano de 2017 pela Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro (SMCRJ). Ele é conhecido no País por sua atuação como pediatra, incluindo trabalhos e livros publicados sobre a importância do aleitamento materno, reanimação neonatal e sua dedicação na Neonatologia, em especial na humanização ao atendimento ao recém-nascido.

“Ser homenageado pelas nossas sociedades médicas é sempre algo muito gratificante. Não digo que seja sorte, mas, sim, um reconhecimento que vem de muita dedicação e estudo. Quando a SMCRJ entrou em contato comigo, anunciando que eu seria o médico homenageado deste ano, senti-me muito agraciado”, declarou. A solenidade de entrega da homenagem aconteceu na segunda-feira (16), no Auditório Geral Nobre do Hospital Universitário Gafreé e Guinle, na Tijuca, zona Norte do Rio, e contou também com a participação do secretário-geral e do 1º secretário da SBP, drs. Sidnei Ferreira e Claudio Hoineff, respectivamente, representando a instituição.

MÉDICOS DO ANO – Chegando à sua 39ª edição, a homenagem que acontece anualmente, desde 1978, é realizada pela centenária Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro e tem objetivo de reconhecer médicos dedicados à profissão. Ivo Pitangui, Pedro Ernesto, Paulo Niemeyer e Raul Fialho de Faria Junior são alguns dos médicos que já foram agraciados com o reconhecimento. Na solenidade desse ano também foi apresentada a nova diretoria da SMCRJ (triênio 2017/2020) que antes era presidida pela Dra. Marília de Abreu da Silva a agora estará sobre o comando do Jorge Farha, médico com grande representatividade junto à classe médica.

Na entrega do título outorgado, dr. José Dias Rêgo ressaltou que deve suas conquistas a todos os profissionais que estiveram e estão ao seu lado, sempre em busca de avanços e de novas tecnologias para trazer mais qualidade de vida ao prematuro. “Receber essa homenagem muito me honra. Esse reconhecimento não é somente para mim e, sim, repito, para todos os profissionais e equipes das quais participei e participo até hoje, seja liderando ou como parte integrante”, comemorou.

ESCOLHA – Antes de optar pela especialidade, que exerce há cinco décadas, dr. Dias Rego, ainda estudante, imaginava que seria obstetra. Porém, no quinto período da faculdade, após ser aprovado e classificado para trabalhar em prontos-socorros da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) do Rio de Janeiro, o seu então chefe de equipe o indicou para atuar na sala de atendimento infantil.

Na época, o jovem quintanista, timidamente, respondeu que não sabia nada sobre crianças, mas mesmo assim o enviaram para o local, onde, segundo conta, teve a sorte de conhecer três pediatras que lhe deram todo o apoio. Dessa forma, começou seu envolvimento com a pediatria. “De lá para cá nunca pensei em outra coisa, a paixão pela pediatria foi aumentando gradativamente”, ressaltou o médico.

TRAJETÓRIA – Desde a sua formação, em 1967, na então chamada “Escola de Medicina e Cirurgia”, dr. Dias Rego continuou avançando em sua trajetória, pontuada por conquistas como a Residência Médica no HSE (onde foi concursado após cinco anos, indo para a Maternidade Alexander Fleming) e a aprovação em concurso da SMS (Hospital Salles Netto). Em todas as etapas, sempre atuou em prol da Pediatria, com foco na saúde das crianças e adolescentes.

Durante sua vida profissional, o médico publicou três livros sobre aleitamento materno e reanimação neonatal, contribuindo, ainda com capítulos em mais de 20 importantes obras sobre temas da Pediatria. No campo da pesquisa, trabalhou sobre assuntos diversos, como a importância do aleitamento materno desde os primeiros minutos de vida do bebê, ainda na sala de parto; a participação da mãe na UTI Neonatal; a terapia de reidratação oral; a humanização da equipe médica no atendimento ao recém-nascido (Método Canguru); e a prevenção de acidentes e suicídios; entre outros.

Link Original | Sociedade Brasileira de Pediatria (com informações da assessoria de imprensa da SMCRJ) | 23/10/2017

Últimas notícias

Ação social de hospital pediátrico chega ao Méier

22 de novembro de 2018


“Minha filha nasceu na rua”, conta mulher que adotou bebê de mãe viciada

16 de novembro de 2018


Borderline: O que é, o que causa e sintomas do transtorno

13 de novembro de 2018


Sífilis congênita, se não tratada, pode provocar a morte de bebês

29 de outubro de 2018


Saiba quando é o momento certo para fazer o desfralde de seu filho

17 de outubro de 2018