Esporte contra sedentarismo


Rio – A tendência ao sedentarismo no mundo já é responsável pelo quarto maior fator de risco de mortalidade, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Esses números somados a outras dados de pesquisa da Organização, que estimam que 41 milhões de crianças menores de 5 anos estão acima do peso no mundo soam como um alerta para as famílias.

Não existe fórmula mágica para chegar ao peso ideal, mas a pediatra Fernanda Perez, do Grupo Prontobaby, lembra que as crianças estão mais sedentárias, principalmente por causa da tecnologia, optando por assistir televisão ou jogar videogame e celulares. “Junto a uma rotina de alimentação saudável, a atividade física é aliada para a diminuição dos índices de obesidade. É fundamental que os pais, desde cedo, incentivem a prática de exercícios”, comenta.

Pensando nisso, a socióloga Maria Pereira, mãe de Lis, de 11 anos, matriculou a filha na Intrépida Trupe nas aulas de A Cobra na Bacia. “Eu queria que minha filha participasse de aulas que conciliassem atividades física e artística. E os benefícios que percebo vão do desenvolvimento físico até desenvoltura para se apresentar em público, sensibilidade artística e engajamento em um grupo”.

Locais com múltiplas opções para as crianças são cada vez mais encontrados. Na Hebraica Rio, em Laranjeiras, a grade inclui patinação artística, acrobacia aérea, vôlei, krav maga, bungee dance, judô, futsal, ballet e natação. O presidente do clube, Luiz Mairovicth, explica que o esporte, especialmente se começado cedo, é fundamental para a saúde das crianças. “Meu filho começou com o futsal aos 6 anos, mas se apaixonou pelo judô, especialmente pela dedicação e atenção do professor”, destaca.

Em Niterói, a Tio Sam Camboinhas oferece opções variadas para crianças, inclusive o muay thai, que para muitos é visto como aula para adultos. Segundo Léo Saturnino, professor da modalidade para as crianças da academia, esta arte marcial dá forte noção de disciplina e respeito, aspectos muito importantes para a formação moral e social. Além disso, exige muito do autocontrole, equilíbrio, condicionamento cardiorrespiratório e força muscular do praticante.

Link original | Por Aventuras Maternas para O Dia | 28/07/2018

Últimas notícias

Animais ‘terapeutas’ ajudam no tratamento de crianças e idosos no Rio

30 de setembro de 2018


Depressão e suicídio na adolescência são temas de palestra gratuita na Tijuca

20 de setembro de 2018


Dicas para ajudar a diminuir a cólica dos recém-nascidos

20 de setembro de 2018


Depressão e suicídio na adolescência são temas de palestra gratuita na Tijuca

19 de setembro de 2018


Só 13% dos meninos tomaram a segunda dose da vacina do HPV

19 de setembro de 2018