Esporte contra sedentarismo


Rio – A tendência ao sedentarismo no mundo já é responsável pelo quarto maior fator de risco de mortalidade, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Esses números somados a outras dados de pesquisa da Organização, que estimam que 41 milhões de crianças menores de 5 anos estão acima do peso no mundo soam como um alerta para as famílias.

Não existe fórmula mágica para chegar ao peso ideal, mas a pediatra Fernanda Perez, do Grupo Prontobaby, lembra que as crianças estão mais sedentárias, principalmente por causa da tecnologia, optando por assistir televisão ou jogar videogame e celulares. “Junto a uma rotina de alimentação saudável, a atividade física é aliada para a diminuição dos índices de obesidade. É fundamental que os pais, desde cedo, incentivem a prática de exercícios”, comenta.

Pensando nisso, a socióloga Maria Pereira, mãe de Lis, de 11 anos, matriculou a filha na Intrépida Trupe nas aulas de A Cobra na Bacia. “Eu queria que minha filha participasse de aulas que conciliassem atividades física e artística. E os benefícios que percebo vão do desenvolvimento físico até desenvoltura para se apresentar em público, sensibilidade artística e engajamento em um grupo”.

Locais com múltiplas opções para as crianças são cada vez mais encontrados. Na Hebraica Rio, em Laranjeiras, a grade inclui patinação artística, acrobacia aérea, vôlei, krav maga, bungee dance, judô, futsal, ballet e natação. O presidente do clube, Luiz Mairovicth, explica que o esporte, especialmente se começado cedo, é fundamental para a saúde das crianças. “Meu filho começou com o futsal aos 6 anos, mas se apaixonou pelo judô, especialmente pela dedicação e atenção do professor”, destaca.

Em Niterói, a Tio Sam Camboinhas oferece opções variadas para crianças, inclusive o muay thai, que para muitos é visto como aula para adultos. Segundo Léo Saturnino, professor da modalidade para as crianças da academia, esta arte marcial dá forte noção de disciplina e respeito, aspectos muito importantes para a formação moral e social. Além disso, exige muito do autocontrole, equilíbrio, condicionamento cardiorrespiratório e força muscular do praticante.

Link original | Por Aventuras Maternas para O Dia | 28/07/2018

Últimas notícias

Ação social de hospital pediátrico chega ao Méier

22 de novembro de 2018


“Minha filha nasceu na rua”, conta mulher que adotou bebê de mãe viciada

16 de novembro de 2018


Borderline: O que é, o que causa e sintomas do transtorno

13 de novembro de 2018


Sífilis congênita, se não tratada, pode provocar a morte de bebês

29 de outubro de 2018


Saiba quando é o momento certo para fazer o desfralde de seu filho

17 de outubro de 2018