Os riscos de segurança às crianças escondidos em casa


É muito natural que durante o seu desenvolvimento, a criança queira explorar o ambiente a sua volta. Assim como em espaços fora de casa, para que esse descobrimento natural do crescimento infantil não vire um acidente, pais e responsáveis precisam dividir a atenção entre as diversas atividades cotidianas. O que se torna um desafio imenso.

Segundo a pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde, em 2013, os acidentes domésticos foram a principal causa de morte de crianças brasileiras, de até 9 anos de idade, o que representa 32% dos casos. Contudo, o que os pais não sabem é que muitos desses acidentes poderiam ser evitados com pequenas adaptações dentro de casa. “Os pais pensam que, como as crianças não estão na rua, o risco é mínimo e, consequentemente, diminuem a supervisão direta. Se a casa não tiver sido detalhadamente adaptada à faixa etária de cada criança, os riscos podem ser potencializados”, explica a Dra. Aline Magnino, pediatra do Hospital ProntoBaby.

Para evitar que seu filho fique exposto aos perigos domésticos, confira dicas simples que podem minimizar acidentes:

Cozinha:

 Evite a aproximação da criança de fogão, forno, botijão de gás, caixas de fósforos e acendedores. Além disso, cuidado com as panelas pesadas e cabos expostos;

 Deixe utensílios cortantes como facas, raladores, louças ou copos de vidro à distância.

Quarto e sala – é recomendado não ter:

 Mobiliários pontiagudos;

 Sofás-camas que tenham mecanismos de abrir e fechar;

 Adornos decorativos que possam quebrar;

 Plantas naturais em vasos com terra em locais instáveis;

 Espelhos e quadros grandes e pesados que não estejam fixados de forma segura.

Banheiro:

 Mantenha as tampas dos vasos sanitários e ralos fechados;

 Guarde e tranque em armários medicamentos, maquiagem e outros produtos que podem ser consumidos indevidamente;

 Mantenha seco o piso do box e do banheiro para evitar escorregões;

 Opte por tapetes com fitas antiderrapantes.

Lavanderia:

 Garanta que a criança não terá acesso ao ferro elétrico, tábua de passar, produtos de higiene e outros eletrodomésticos que possam causar ferimentos ou serem consumidos.

 

Medidas como essas sempre são recomendadas para diminuir, nem que seja um pouco, a preocupação dos pais e o bebê poderá brincar com segurança e tranquilidade.

 

Link original | Por BabySafe | 05/06/2018

Últimas notícias

Animais ‘terapeutas’ ajudam no tratamento de crianças e idosos no Rio

30 de setembro de 2018


Depressão e suicídio na adolescência são temas de palestra gratuita na Tijuca

20 de setembro de 2018


Dicas para ajudar a diminuir a cólica dos recém-nascidos

20 de setembro de 2018


Depressão e suicídio na adolescência são temas de palestra gratuita na Tijuca

19 de setembro de 2018


Só 13% dos meninos tomaram a segunda dose da vacina do HPV

19 de setembro de 2018