Os riscos de segurança às crianças escondidos em casa


É muito natural que durante o seu desenvolvimento, a criança queira explorar o ambiente a sua volta. Assim como em espaços fora de casa, para que esse descobrimento natural do crescimento infantil não vire um acidente, pais e responsáveis precisam dividir a atenção entre as diversas atividades cotidianas. O que se torna um desafio imenso.

Segundo a pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde, em 2013, os acidentes domésticos foram a principal causa de morte de crianças brasileiras, de até 9 anos de idade, o que representa 32% dos casos. Contudo, o que os pais não sabem é que muitos desses acidentes poderiam ser evitados com pequenas adaptações dentro de casa. “Os pais pensam que, como as crianças não estão na rua, o risco é mínimo e, consequentemente, diminuem a supervisão direta. Se a casa não tiver sido detalhadamente adaptada à faixa etária de cada criança, os riscos podem ser potencializados”, explica a Dra. Aline Magnino, pediatra do Hospital ProntoBaby.

Para evitar que seu filho fique exposto aos perigos domésticos, confira dicas simples que podem minimizar acidentes:

Cozinha:

 Evite a aproximação da criança de fogão, forno, botijão de gás, caixas de fósforos e acendedores. Além disso, cuidado com as panelas pesadas e cabos expostos;

 Deixe utensílios cortantes como facas, raladores, louças ou copos de vidro à distância.

Quarto e sala – é recomendado não ter:

 Mobiliários pontiagudos;

 Sofás-camas que tenham mecanismos de abrir e fechar;

 Adornos decorativos que possam quebrar;

 Plantas naturais em vasos com terra em locais instáveis;

 Espelhos e quadros grandes e pesados que não estejam fixados de forma segura.

Banheiro:

 Mantenha as tampas dos vasos sanitários e ralos fechados;

 Guarde e tranque em armários medicamentos, maquiagem e outros produtos que podem ser consumidos indevidamente;

 Mantenha seco o piso do box e do banheiro para evitar escorregões;

 Opte por tapetes com fitas antiderrapantes.

Lavanderia:

 Garanta que a criança não terá acesso ao ferro elétrico, tábua de passar, produtos de higiene e outros eletrodomésticos que possam causar ferimentos ou serem consumidos.

 

Medidas como essas sempre são recomendadas para diminuir, nem que seja um pouco, a preocupação dos pais e o bebê poderá brincar com segurança e tranquilidade.

 

Link original | Por BabySafe | 05/06/2018

Últimas notícias

Ação social de hospital pediátrico chega ao Méier

22 de novembro de 2018


“Minha filha nasceu na rua”, conta mulher que adotou bebê de mãe viciada

16 de novembro de 2018


Borderline: O que é, o que causa e sintomas do transtorno

13 de novembro de 2018


Sífilis congênita, se não tratada, pode provocar a morte de bebês

29 de outubro de 2018


Saiba quando é o momento certo para fazer o desfralde de seu filho

17 de outubro de 2018