Com os filhos, nasce também a preocupação com a saúde


Leonardo com a filha Luiza, de 3 anos | Foto: Arquivo pessoal

O nascimento da filha, Luiza, de 3 anos, fez surgir no designer Leonardo Chagas uma preocupação maior com a saúde. A vontade de estar bem e disposto ao lado da menina impulsionou mudanças na rotina dele. As consultas ao cardiologista, por ser hipertenso, passaram a acontecer com um intervalo menor de tempo; ele procurou uma nutricionista e passou a fazer mais atividade física.

— O nascimento dela fez com que despertasse em mim essa vontade de querer cuidar do outro. Passei a me preocupar em ter qualidade de vida e uma vida longa para estar perto dela por mais tempo. E cuidar da minha saúde contribui para isso — conta Leonardo.


Ser pai aos 33 anos foi algo planejado por ele. Assim como muitos homens e mulheres, o designer preferiu esperar se estabelecer profissional e financeiramente antes de ter um filho. A tendência a um planejamento familiar em que as crianças vêm mais tarde é percebida pela psicóloga Laura França, que ressalta a importância dos cuidados com a saúde nesses casos.

— Vemos novos pais em gerações cada vez acima, como aos 50 anos, graças aos avanços na área da saúde também. E a chegada de uma criança demanda deles maior vitalidade e energia — pontua a especialista da Prontobaby, que chama a atenção para o fato de os homens procurarem menos que as mulheres os serviços de saúde.

O urologista Ravendra Moni afirma que quase a metade dos homens com mais de 40 anos não procura acompanhamento médico preventivo ou de rotina.

A base do bem-estar e da saúde, segundo o urologista Ravendra Moni, prevê três práticas: dieta saudável, atividade física regular e o abandono do tabagismo e da ingestão de álcool.

— Os homens também precisam aderir a uma rotina de avaliação anual por um médico, se possível um urologista — destaca Ravendra.

Educador físico especializado em nutrição, Fabio Aquino ressalta que é preciso valorizar os micronutrientes na alimentação. Estes estão presentes em diversos alimentos, como nas oleaginosas, no abacate e no óleo de coco:

— A alimentação precisa ser balanceada para gerar disposição e mais vitalidade.

Na busca por saúde, o aspecto psicológico não pode ficar de fora. A psicóloga Laura França chama atenção para a cultura de que o homem não pode sentir dor ou sofrer, o que dificulta a busca por atendimento. Segundo ela, o pai cuidar da saúde mental é essencial também para o filho.

— Administrar o tempo para brincar e estudar com o filho beneficia a saúde emocional dele. Essa atenção faz com que a criança tenha boa autoestima.

Link original | Por Ana Paula Blower para Jornal Extra, com colaboração de Laura França, psicóloga | 12/08/18

Últimas notícias

Ação social de hospital pediátrico chega ao Méier

22 de novembro de 2018


“Minha filha nasceu na rua”, conta mulher que adotou bebê de mãe viciada

16 de novembro de 2018


Borderline: O que é, o que causa e sintomas do transtorno

13 de novembro de 2018


Sífilis congênita, se não tratada, pode provocar a morte de bebês

29 de outubro de 2018


Saiba quando é o momento certo para fazer o desfralde de seu filho

17 de outubro de 2018