Com os filhos, nasce também a preocupação com a saúde


Leonardo com a filha Luiza, de 3 anos | Foto: Arquivo pessoal

O nascimento da filha, Luiza, de 3 anos, fez surgir no designer Leonardo Chagas uma preocupação maior com a saúde. A vontade de estar bem e disposto ao lado da menina impulsionou mudanças na rotina dele. As consultas ao cardiologista, por ser hipertenso, passaram a acontecer com um intervalo menor de tempo; ele procurou uma nutricionista e passou a fazer mais atividade física.

— O nascimento dela fez com que despertasse em mim essa vontade de querer cuidar do outro. Passei a me preocupar em ter qualidade de vida e uma vida longa para estar perto dela por mais tempo. E cuidar da minha saúde contribui para isso — conta Leonardo.


Ser pai aos 33 anos foi algo planejado por ele. Assim como muitos homens e mulheres, o designer preferiu esperar se estabelecer profissional e financeiramente antes de ter um filho. A tendência a um planejamento familiar em que as crianças vêm mais tarde é percebida pela psicóloga Laura França, que ressalta a importância dos cuidados com a saúde nesses casos.

— Vemos novos pais em gerações cada vez acima, como aos 50 anos, graças aos avanços na área da saúde também. E a chegada de uma criança demanda deles maior vitalidade e energia — pontua a especialista da Prontobaby, que chama a atenção para o fato de os homens procurarem menos que as mulheres os serviços de saúde.

O urologista Ravendra Moni afirma que quase a metade dos homens com mais de 40 anos não procura acompanhamento médico preventivo ou de rotina.

A base do bem-estar e da saúde, segundo o urologista Ravendra Moni, prevê três práticas: dieta saudável, atividade física regular e o abandono do tabagismo e da ingestão de álcool.

— Os homens também precisam aderir a uma rotina de avaliação anual por um médico, se possível um urologista — destaca Ravendra.

Educador físico especializado em nutrição, Fabio Aquino ressalta que é preciso valorizar os micronutrientes na alimentação. Estes estão presentes em diversos alimentos, como nas oleaginosas, no abacate e no óleo de coco:

— A alimentação precisa ser balanceada para gerar disposição e mais vitalidade.

Na busca por saúde, o aspecto psicológico não pode ficar de fora. A psicóloga Laura França chama atenção para a cultura de que o homem não pode sentir dor ou sofrer, o que dificulta a busca por atendimento. Segundo ela, o pai cuidar da saúde mental é essencial também para o filho.

— Administrar o tempo para brincar e estudar com o filho beneficia a saúde emocional dele. Essa atenção faz com que a criança tenha boa autoestima.

Link original | Por Ana Paula Blower para Jornal Extra, com colaboração de Laura França, psicóloga | 12/08/18

Últimas notícias

Animais ‘terapeutas’ ajudam no tratamento de crianças e idosos no Rio

30 de setembro de 2018


Depressão e suicídio na adolescência são temas de palestra gratuita na Tijuca

20 de setembro de 2018


Dicas para ajudar a diminuir a cólica dos recém-nascidos

20 de setembro de 2018


Depressão e suicídio na adolescência são temas de palestra gratuita na Tijuca

19 de setembro de 2018


Só 13% dos meninos tomaram a segunda dose da vacina do HPV

19 de setembro de 2018