Como explicar o divórcio da melhor maneira para os filhos


Os dados mais recentes do IBGE sobre casais que se divorciam, de 2017, mostram que 46% deles têm pelo menos um filho menor de idade. Se a separação é uma situação difícil de lidar sendo adulto, imagina para uma criança. Qual é a melhor maneira de explicar para um filho que os pais não vão mais morar juntos?

— O melhor momento para contar sobre o divórcio é quando o casal de fato tenha internalizado, em ambos, o fim da relação conjugal para que não haja mensagens dúbias e idas e vindas — afirma Adriana Cabana, psicóloga do Grupo Prontobaby.

O divórcio dos pais pode gerar um misto de sentimentos na criança com o qual ela provavelmente não saberá lidar. Por isso, os adultos devem ter paciência com os filhos.

— A notícia da separação pode gerar medo, dúvidas, sentimento de culpa e principalmente o luto. Ansiedade é o que mais se vê nessas situações porque a criança não tem capacidade neuronal de projetar o futuro logo que ela sabe desta notícia — explica Tânia Mello, psicóloga da Clinipae.

A maneira como os pais vão lidar com o divórcio pode aumentar ou amenizar os sentimentos ruins nas crianças.

— Posicioná-los sobre a separação de forma clara, sincera e verdadeira, transparecendo tranquilidade e segurança, faz com que a criança identifique tais sentimentos e apazigue sua angústia por meio do acolhimento — afirma a psicóloga Aline Cristina de Melo, do Grupo São Cristóvão Saúde.

O divórcio dos pais pode gerar reflexos no desempenho escolar do filho, independentemente da idade dele. Por isso, o ex-casal deve ficar atento: ao perceber qualquer mudança drástica de comportamento, é preciso agir.

— É aconselhável buscar ajuda psicológica para receber orientação de como enfrentar a instabilidade — recomenda Ludmila Schulz, coordenadora do Curso de Pedagogia do Centro Universitário Celso Lisboa.

‘Toda criança sonha em ver os pais juntos’*

Estou divorciado há cinco anos e até hoje a minha filha não aceita, mesmo fazendo terapia. Ela tem 11 anos e há um mês veio morar comigo. No quarto, ela colocou várias fotos nas quais estamos nós três: eu, ela e a mãe dela. Infelizmente, a separação dos pais é sempre algo imposto à criança, porque não é ela quem decide e nem tem o poder de fazer algo para reverter a situação. Percebo que todo filho pequeno de pais separados sonha em ver os pais juntos novamente, mesmo que os pais demonstrem que isso não vai acontecer.

A não aceitação dela tem me impedido de me relacionar com outras pessoas, porque pode trazer mais insegurança para ela, e eu não quero que minha filha se torne uma adulta insegura.

*Roberto Teixeira, corretor de imóveis

Fonte: Extra

Últimas notícias

Especialistas dão dicas de como aproveitar as festas juninas com moderação

23 de junho de 2019


15 dicas para evitar alergias respiratórias

22 de junho de 2019


Seu bebê sofre com assaduras? Saiba como prevenir e lidar com as irritações

20 de junho de 2019


Especialistas dão dicas de como mediar brigas entre irmãos

16 de junho de 2019


Como (e quando) contar sobre novos relacionamentos para os filhos?

7 de junho de 2019